Ascânio MMM

biografia

sem título
madeira pintada
edição de 3
60 x 120 cm
1974/1996

Ascânio Maria Martins Monteiro (Fão, Portugal, 1941). Escultor e arquiteto. Nascido em Portugal, aos 17 anos muda-se de para o Rio de Janeiro. Frequenta a Escola de Belas Artes entre 1963 e 1964 para aperfeiçoar-se em técnicas de desenho. Em 1969, forma-se em arquitetura e urbanismo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atua como arquiteto até 197

Durante os anos 1970, inicia experimentações volumétricas com ripas de madeira em módulos pintados de branco, organizadas em eixo, emblemáticas em sua produção artística. Essas progressões verticais e horizontais articulam-se para propor uma volumetria escultórica que, em alguns trabalhos, contam com o espectador para configurar outros arranjos formais. Na década seguinte, explora as possibilidades oferecidas por madeiras como ipê, freijó, mogno em estado cru para a construção de relevos e esculturas. Sua pesquisa subsequente continua priorizando a linguagem abstrata construtiva e introduz outros materiais industriais, como alumínio e arame inox. A escala das obras é ampliada, e esculturas públicas são comissionadas para as cidades de Lisboa, Tóquio, São Paulo e Rio de Janeiro.

Ao longo da carreira, Ascânio MMM participa de duas Bienais de São Paulo (1967 e 1979), da 2a Bienal da Bahia (1968) e da 1a Bienal do Mercosul em Porto Alegre (1997). Além delas, também participa de exposições individuais no Rio de Janeiro (Museu de Arte Moderna 1976, 1984, 1999 e 2008), Belo Horizonte e São Paulo e faz parte de diversas mostras. Em 1972, ganha o Grande Prêmio para Escultura, no 4º Panorama da Arte Brasileira, no Museu de Arte Moderna de São Paulo. Em 1997, é condecorado como comendador com a Ordem do Mérito pelo presidente de Portugal. Suas obras fazem parte de coleções, como da Fundação Edson Queiroz, em Fortaleza, e do Itaú Cultural, e de acervos do Museo de Arte Contemporáneo de Buenos Aires, Museu de Arte Moderna e Museu Nacional de Belas Artes, ambos no Rio de Janeiro, Museu de Arte do Rio Grande do Sul, Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo e Pinacoteca do Estado de São Paulo.

Nos anos 2000, são publicados os livros Ascânio MMM: Poética da Razão e Ascânio MMM, que oferecem análise crítica de sua trajetória artística, feita por diversos curadores.

Fonte: Itaú Cultural